+55 31 2517-3001 contato@le.com.br

Search Results for: metamorfoses

Lobisomem. Metamorfoses, página 15.

Conheça ‘Metamorfoses’, um flipbook surpreendente!

Na natureza e na cultura, o tempo deixa marcas irreversíveis, e a memória é o que registra o processo de transformação. O título de Metamorfoses tem origem na palavra grega que significa “mudar de forma”.

O ponto de partida do livro é o mito do lobisomem. A especialista em literatura infantojuvenil Neusa Sorrenti escreve na quarta capa:

Lobisomem. Metamorfoses, página 15.

“Os seres em outros seres vêm acordar a compreensão de que os símbolos têm função mediadora, estendem pontes, reúnem o céu e a terra, transformam o real e o sonho.”

A seguir, confira alguns questionamentos e respostas que se escondem nos quatro contos que compõem a obra.

Vivemos em um mundo de símbolos? Ou um mundo de símbolos vive em nós?

A leitura de Metamorfoses requer intuição, atenção e sensibilidade. Sem isso, é impossível perceber algo profundo ou comovente. Os símbolos contidos no livro representam os conflitos, contradições, alternâncias e desejos humanos.

Qual a simbologia por trás do número quatro em Metamorfoses?

São quatro estações do ano, pontos cardeais, elementos da alquimia e idades cronológicas da mitologia clássica. Além disso, o livro foi escrito por quatro mulheres. O feminino se manifesta com tonalidades diferentes a cada conto.

Metamorfoses é um flipbook. O que é isso?

Um flipbook ou folioscópio é uma coleção de imagens, organizadas para compor uma ideia linear de tempo e espaço. Ao folheá-las, a sequência animada dá a impressão de movimento ou, nesse caso, os estágios de uma transformação.

É possível encontrar beleza em uma obra de suspense e terror?

A resposta para essa pergunta é “sim”. Basta ver abaixo como é lindo o trailer do livro.

Um livro com essa temática pode ser reconhecido pela Unesco?

Anualmente, a Cátedra de Leitura da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) reconhece o melhor da literatura. Entre as obras infantojuvenis de 2021, Metamorfoses recebeu o Selo Distinção.

A propósito, outra obra publicada pelo Grupo Editorial Lê, O Menino e a flor, recebeu da Cátedra de Leitura da Unesco o Selo Seleção. Abaixo, veja o que a Lourdinha Mendes, do Grupo Lê, falou sobre esse reconhecimento.

Quem deu vida a Metamorfoses?

No livro há uma conjugação perfeita entre o texto e as imagens azuladas. Conheça os responsáveis por essa obra tão única.

Flávia Côrtes

Escritora, roteirista e tradutora,além depesquisadora sobre lliteratura geral, infantojuvenil e formação do leitor literário. Atualmente, é vice-presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ).

Flávia Muniz

Além de pedagoga, escritora premiadíssima de obras para a infância e juventude. Suas histórias fantásticas sobre vampiros e outros seres sobrenaturais estão em contos, novelas e romances YA de fantasia sombria.

Regina Drummond

Estudou línguas e literatura, é tradutora, contadora de histórias e, claro, autora infantojuvenil. Além de receber prêmios e destaques de instituições nacionais de renome, teve algumas de suas obras traduzidas para outros idiomas.

Rosana Rios

Desde 1986 no trabalho com literatura, a escritora é especializada em fantasia infantojuvenil. Iniciou como roteirista de TV e atualmente, além de vários prêmios, coleciona dragões e livros na monstruosa biblioteca que tem em casa.

Salmo Dansa

O ilustrador é amante, além de pesquisador prático e teórico sobre desenho e literatura. Seus trabalhos abordam contos clássicos da literatura infantojuvenil e da cultura afro-brasileira, e também integraram exposições internacionalmente.

Raquel Matsushita

A premiada editora de arte também é ilustradora e escritora de livros infantis e sobre design. No Brasil, formou-se em Publicidade e Propaganda. Em Nova Iorque, especializou-se em Design Gráfico, Cor e Tipografia.

Como ler Metamorfoses on-line?

Capa do livro Metamorfoses.

Metamorfoses é um título capaz de cativar facilmente o público juvenil. Cadastre-se gratuitamente no Portal do Educador, confira o livro na íntegra e avalie se é o que você procura para a sala de aula ou a biblioteca da escola.

Desenho de homem no flip book.

Flip book é tataravô do cinema. Saiba como fazer o seu

Flip book

A animação é fascinante, não é? São muitas as pessoas que já pensaram em fazer parte desse universo. É o seu caso? Parece ser tão divertido… e é mesmo! Hoje, você conhecerá o flip book e vai aprender a fazer um.

Traduzindo do inglês, flip quer dizer “virar” e book, “livro”. Outros nomes da técnica refletem o efeito desejado: cinema de bolso, cinema de polegar, livro animado ou livro-filme.

Trata-se de um livreto que traz um efeito ótico de animação, com base em imagens organizadas em sequência. Essas imagens mudam gradualmente de uma página para outra, criando a ilusão de movimento ou transformação.

A animação pode ser ilustrada ou usar fotografias, direcionada para os públicos infantil e adulto. Normalmente, o leitor (sim, leitor!) segura o livro e, com o polegar da outra mão, folheia rapidamente, no sentido oposto ao normal.

Conheça um pouquinho da história dessa técnica

A verdade é que, na Era Medieval, já haviam livros com ilustrações sequenciais. Elas eram enquadradas de forma semelhante, com intervalos curtos entre os estágios da ação.

Ainda assim, não podiam simular um movimento fluido. Afinal, o povo daquela época não tinha muito desenvolvida a noção de intervalos de tempo menores de um segundo.

Kineograph patente. Imagem ilustrativa texto flip book.

O flip book foi criado na Inglaterra em 1868 e se tornou muito popular. John Barnes Linnett, seu inventor, teve o cuidado de patenteá-lo. Inicialmente, chamou sua invenção de kineograph (algo como “cineógrafo”).

A novidade substituía a sequência circular de outros aparelhos óticos, como o fenacistiscópio e o zootrópio, além de oferecer mais possibilidades.

O próprio criador de um dos primeiros modelos de projetores para o cinema, Max Skladanowsky, já exibia suas imagens fotográficas em forma de flip book.

Em 1894, o mutoscópio exibia as imagens de flip books de forma mecânica. As páginas não eram encadernadas, mas sim montadas em um cilindro giratório.

Essa máquina ficou muito popular em parques de diversão e, para ver a animação, as crianças precisavam colocar uma moeda.

Já o filoscópio, de 1897, era menor e vinha em um suporte de metal, para que as crianças brincassem de cineminha em casa.

Como você viu, o flip book teve um papel importante na criação do cinema. Ainda hoje, há grandes estúdios de animação que utilizam ou simulam a técnica para obter um efeito interessante.

Como fazer um flip book em casa?

Se você usar folhas pequenas, como as de um caderninho de bolso ou um bloquinho, conseguirá virar as páginas mais facilmente e na velocidade ideal.

É importante que não a capa não seja grossa, mas que o suporte para unir as páginas seja rígido. Você também pode grampear várias folhas, desde que sejam do mesmo tamanho e estejam alinhadas.

Desenho de homem no flip book.

Procure desenhar mais ou menos do meio da página até a borda. O que estiver perto da união entre as páginas é mais difícil de ver.

Faça a primeira ilustração na última folha e vá seguindo a ordem inversa para as seguintes. Para que você consiga ver o desenho da página de baixo e usá-lo como base, as folhas devem ser finas. No entanto, evite papéis vegetais.

Conte quantas páginas vai usar e faça antes uma divisão do que você quer que aconteça dentro de cada quadro-chave. Daí, é só desenhar os caminhos ou transformações que levam um quadro-chave ao outro.

É normal que, a princípio, os intervalos entre os quadros não estejam proporcionais. Mesmo assim, quanto mais você praticar, maior ficará sua noção de fluidez. Para treinar, faça esboços (com bonecos palito, por exemplo).

Por isso, procure ter disponíveis um número maior de folhas do que as que você pretende usar na animação final. A repetição torna essa em uma excelente forma de aperfeiçoar a sua habilidade de desenhar!

Faça os primeiros desenhos a lápis, sem fazer muita força no papel, e borracha. Se quiser colorir ou passar à caneta, só faça depois de ter a certeza de que todos os desenhos estão prontos.

Quer ver um flip book surpreendente? Conheça Metamorfoses

Alguns livros não são exclusivamente flip books. Há casos em que os desenhos funcionam como recursos adicionais, aparecendo nos cantos das páginas para complementar narrativas.

Em outros casos, os desenhos são mais elaborados e aparecem entre os textos, com um efeito impressionante. É o caso de Metamorfoses, que possui o projeto gráfico e ilustrações feitos por Raquel Matsushita e Salmo Dansa. Confira o trailer do livro.

Cadastre-se no Portal do Educador e confira a obra na íntegra! Claro, não é o mesmo de ter o livro físico nas mãos, mas você poderá avaliá-lo antes de levar para a biblioteca, para a sala de aula ou para casa.

Passaro carregando osso, perto de vulcão. Contos de Olófi, página 22. Imagem ilustrativa texto livros de contos.

Livros de contos reúnem histórias de forma dinâmica. Veja 15 sugestões

Passaro carregando osso, perto de vulcão. Contos de Olófi, página 22. Imagem ilustrativa texto livros de contos.

Nem sempre a gente tem tempo para ler uma história com muitas páginas. Além disso, tem gente que se perde quando precisa interromper a leitura constantemente. Por isso, os livros de contos são ótimos!

Afinal, dá para ler uma história ou crônica de cabo a rabo em poucos minutos. Você pode, inclusive, recorrer a um conto toda vez que se cansar e quiser dar uma pausa na leitura de outra obra maior.

Leia na ordem que quiser! Se você não gostar de um conto logo nas primeiras palavras, pode pular para outro que te chame mais a atenção. É possível encontrar vários temas e tons de escrita dentro de um mesmo título.

Nas obras com vários autores, você tem uma amostra da escrita de cada um. Esse é um bom ponto de partida para procurar obras completas daqueles que mais lhe agradam. A seguir, confira algumas dicas.

Feliz e orgulhoso, envaidecido mesmo.

1. Para quem gosta de livros de contos e do humor do cartum

Em Feliz e orgulhoso, envaidecido mesmo, as ilustrações potencializam as perspicácias contidas no texto. O livro conta com uma linguagem bem cuidada, carregada de humor, de nonsense e de sagacidade. Imperdível!

Comédias e tragédias da vida privada de uma criança.

2. Interpretações, experiências e descobertas infantis

Você já parou para pensar como a lógica das crianças é surpreendente? De forma divertida, Comédias e tragédias da vida de uma criança explora o cômico e o humor das experiências diárias vividas pelos pequenos.

Capa do livro Coisa do bicho.

3. Alma do mineiro

Lembranças, seres, paisagens, sonhos, esperanças, fortalezas e fraquezas, sucessos e fracassos cotidianos. Coisa do bicho é um álbum de fotografias com as palavras, onde vemos cenas de Minas e conversas nascidas ao acaso.

Morandubetá.

4. Folclore que está presente na cultura de tribos indígenas

As histórias de Morumdubetá – Fábulas indígenas foram recolhidas junto aos índios de Goiás. Entre elas, A Moranduba do fim do mundo, Como é que se vira bicho, A Moranduba do guará, rei dos animais e A Moranduba de Uka-Uka.

A princesa que não ria.

5. Livros de contos clássicos, com linguagem atual

Os contos de fadas possuem um simbolismo que apela ao inconsciente e fascina as crianças de ontem e de hoje. A coleção Arco da velha apresenta um cuidado com o texto, além do melhor da ilustração brasileira no gênero.

Confira o diálogo harmonioso entre escrita e arte visual em: A princesa que não ria, A história de Guiomar, Cinderela e outros contos de Grimm, Patinho feio e outros contos de Andersen e A bela adormecida e outros contos de Perrault.

As roupas do papai foram embora.

6. Visão infantil sobre as atitudes dos adultos

Crianças, adultos, animais e até brinquedos ganham voz nas histórias de As roupas do papai foram embora. O humor, a emoção e o clima de extrema delicadeza se misturam em cenas do cotidiano e levam o leitor à reflexão.

Contos de Olófi.

7. Explicações para a origem das coisas do mundo

Várias histórias tentam explicar o homem, a mulher, a morte, o vento, o mar… e os sentimentos. Contos de Olófi traz elementos culturais importantes e universais, que vão além da religiosidade, das raças e das ideologias políticas.

Livro Exercícios de amor.

8. Diversas nuances do amor

Um olhar atento sobre esperanças, medos, amizades, solidões, alegrias, inseguranças, escolhas, rejeições, saudades e reencontros. Em Exercícios de amor, o sentimento se revela ou se esconde sob aspectos diferentes.

Capa do livro Metamorfoses.

9. Flip book de suspense e terror

Vivemos em um mundo de símbolos? Ou um mundo de símbolos vive em nós? As respostas podem estar no intrigante folioscópio Metamorfoses. As imagens azuladas, organizadas em sequência, dão a impressão de movimento.

Livro Como se fosse gente

10. Livros de contos que há séculos encantam a todos

Em Como se fosse gente, Alaíde Lisboa de Oliveira usa histórias conhecidas para retratar fatos com lições reflexivas para o dia a dia. Entre as fábulas, estão A águia e a raposa, A raposa e as uvas, A gralha e o pavão e O leão e o rato.

A autora também reescreve histórias antigas em Outras fábulas. No livro, você encontra uma mosca impertinente, um bando de cabras vaidosas, um gavião hipócrita, uma mula sábia e um pardal implicante. Simplesmente encantador!

Capa do livro O acaso abre portas

11. Fragmentos poéticos do dia a dia

Opiniões sobre pessoas e lugares, visão bem-humorada sobre fatos e atitudes, e reflexões sobre o próprio fazer literário. Em O acaso abre portas, delicie-se, se espante e reflita sobre a visão de mundo que você tem ou espera ter.

Capa O homão e o menininho

12. Histórias de filhos e pais

Fatos da vida familiar, lembranças da infância e relacionamento entre pais e filhos. O homão e o menininho – Histórias de filhos e pais aborda tudo isso e atravessa pela crítica social com uma linguagem ágil, moderna e emocionada.

O papagaio de Van Gogh.

13. Um papagaio cheio de mistérios e com alma de poeta

Merelo é um papagaio verde, que herda características inusitadas do cronista. Aos poucos, ele vai amarelando e acaba perdendo a cor. Momentos de leveza, perplexidade e emoção estão no divertido e sagaz O papagaio de Van Gogh.

Capa do livro Um conto por um guaraná.​

14. Histórias independentes que, juntas, revelam outra

Em Um conto por um guaraná, confira: uma girafa que mora em frente a uma livraria, uma baleia que se comunica por enigmas, um príncipe com pulgas, um elefante mestre em xadrez e um cachorro que se chama Gato.

Contos ortográficos.

15. Livros de contos podem falar da reforma ortográfica? Claro!

O empresário Apóstrofo, o Homem Vírgula, o Senhor Circunflexo, um casal de Hífens apaixonados e um Trema meio inconformado. Contos ortográficos é sobre o desafio de viver em meio às mudanças que ocorrem a cada dia.

Os livros de contos são perfeitos para as crianças!

Quase todas as histórias curtas contêm uma moral. Então, são ótimas para levar a reflexões diárias. Dá para ler para a criança uma história inteira por dia, sem dar tempo para que ela ou você cansem.

Isso sem contar que os livros de contos são perfeitos para que a criança tome gosto pela leitura aos poucos. Você acredita no valor de todas as formas de literatura? A Lê também. Continue acompanhando nossas atualizações diárias!

A bruxinha do bem, usando o chapéu como buquê de flores. Imagem ilustrativa texto bruxas.

Bruxas estão em livros para crianças e jovens. Veja 9 deles

O Halloween, ou melhor, o Dia das Bruxas está chegando! Saiba que, além dos doces, travessuras e fantasias, a diversão que a data proporciona pode vir em forma de literatura.

Com seus chapéus pontudos e narizes compridos, as bruxas são personagens populares em várias culturas ao longo da história. Com isso, acabaram fazendo parte da infância de muita gente.

Em boa parte das vezes, elas são retratadas como criaturas horrendas, malvadas e poderosas, simbolizando medo, repulsa e mistério. Mas nem sempre é assim!

Chapéu de bruxa emoji Chapéu de bruxa emoji Chapéu de bruxa emoji

As bruxas também podem ser engraçadas e atrapalhadas, além de representar contato com a natureza, poder das mulheres e desejo por transformações. Confira abaixo algumas sugestões livros para todos os gostos e idades.

1. Você sabe por que as bruxas têm uma verruga no nariz?

A bruxa Zezibaba e a menina bordadeira.

Com a agilidade e o humor do cordel, A bruxa Jezibaba e a menina bordadeira narra como surgiu a verruga na ponta do nariz das bruxas. Explica também por que as corujas são cinzentas.

Uma bruxaria faz uma coruja consumir as cores das flores, frutas e folhagens. No entanto, esse desastre é resolvido de uma forma honesta e inteligente, que ainda “enfeita” o nariz da bruxa Jezibaba.

2. Reflexos da Idade Média

Capa do livro Dona feia.

A crença em bruxaria existiu (e ainda existe!) em várias sociedades. Dona Feia mostra os reflexos dessa crença aqui no Brasil.

No livro, uma mulher é alvo de lendas, inclusive a de que provocou uma seca para se vingar dos moradores da região. Baseado na tradição oral e nos contos populares, o título é o mesmo de uma cantiga de escárnio.

3. Como será que é o cotidiano de uma bruxinha aprendiz?

Capa do livro A bruxinha do bem.

Você já parou para pensar como é o dia a dia de uma bruxinha aprendiz, que ainda não sabe como fazer todos os feitiços?

De forma bem-humorada, A bruxinha do bem conta sobre o cotidiano de uma pequena bruxa que se empenha em desenvolver sua arte. Enquanto isso, ela está sempre ajudando alguém e fazendo magias de mentirinha.

4. Aquelas que transformam pessoas em sapos

Capa do livro Os feitiços do sapo Nino.

Falando em bruxinhas do bem, esse também é o caso de Risoleta. Ela aparece em O aniversário da bruxa Risoleta, O bebê da bruxa Risoleta, O resfriado do Bruxobaldo e Os feitiços do sapo Nino.

São livros recheados de surpresas, como a do sapo que vira príncipe. Mais tarde, ele quer voltar a ser sapo e, depois, a ser gente de novo. No entanto, Risoleta erra na dose do feitiço e acaba transformando-o em um bebê.

5. Folclore eslavo para encantar crianças brasileiras

Taya e o espelho da Baba Yaga.

Nas gélidas montanhas da Rússia, uma princesa guarda um segredo em seu coração. Ela acaba tendo que viver em uma cabana, acompanhada de uma bruxa e seu intrometido corvo assistente.

Lá, ela encontra um espelho encantado, que mais parece uma sala de bate-papo da Internet. Isso dá forças e meios à princesa de Taya e o espelho da Baba Yaga, para que consiga lutar contra seu cruel destino.

6. Personificação dos conflitos e desejos humanos

Capa do livro Metamorfoses.

Vivemos em um mundo de símbolos? Ou um mundo de símbolos vive em nós? A intuição do leitor pode levar a percepções profundas e comoventes sobre as contradições e alternâncias do ser humano.

Por isso, procure a resposta nos quatro contos de Metamorfoses. O livro é um folioscópio (ou flip book) cheio de conflitos, desejos, feitiços, maldade e rituais de vingança.

7. Será que há bruxas escondidas na cidade?

Capa do livro Monstros da cidade grande.

“Não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem!” Bem, se elas estão na cidade, certamente já operaram o nariz, cuidaram da pele e se livraram da verruga. Afinal, há centros de beleza por toda parte.

Monstros da cidade grande conta a história de vários monstros, mas não de bruxas, múmias ou vampiros. Na verdade, o livro fala dos monstros que tiram o sossego e que, infelizmente, não vivem apenas na imaginação.

8. Para assombrar os bruxos

Capa do livro Madrugada na casa do bruxo.

O que acontece quando uma assombração entra na casa de alguém que dedica sua vida à feitiçaria?

Em Madrugada na casa do bruxo, conheça um bruxo que acorda no meio da noite, com medo. Os bichos, os objetos e o vento armam uma grande confusão. Além da forma tradicional, o livro apresenta o texto em braile.

9. Bruxas que inspiram

Capa do livro Primeira palavra.

Em Primeira palavra, acompanhamos uma menina que pede trocados na esquina de um sebo. Apesar de não sabe ler, ela se encanta com as imagens dos livros e brinca de imaginar o que dizem as histórias.

Seu livro preferido é o das mágicas desastradas de uma bruxa e seu gato. No mundo real, brinca de fazer magias com seu amigo felino. Em seu aniversário, deseja ganhar o livro da bruxa atrapalhada. Quem iria lhe dar de presente?

Bruxas e o poder da literatura

As bruxas são personagens criadas com base na essência do ser humano. Elas representam o nosso lado sombrio, aquele que esconde os comportamentos e desejos que temos dificuldade de expressar.

Por isso, as histórias com bruxas podem ajudar jovens e crianças na elaboração de questões internas. Consequentemente, indicam caminhos para solucionar diversos conflitos.

Afinal, a literatura é um espaço seguro para experimentar as emoções. Ela possibilita que os jovens e crianças lidem com essas emoções de forma mais saudável.

Chapéu de bruxa emoji Chapéu de bruxa emoji Chapéu de bruxa emoji

Você também acredita que bruxas, fadas e outros seres fantásticos devem fazer parte da formação humana? Se sim, entre em contato. Juntos, vamos selecionar os melhores livros para adotar em sua escola ou levar para casa.

A Bonequinha Preta. Imagem ilustrativa texto prêmios e reconhecimentos.

Prêmios e reconhecimentos dos livros do Grupo Lê. Quais são?

A Bonequinha Preta. Imagem ilustrativa texto prêmios e reconhecimentos.

O Grupo Editorial Lê tem mais de 300 títulos em seu catálogo. Muitos deles receberam prêmios e reconhecimentos de instituições de respeito no setor, dentro e fora do Brasil. Hoje, você verá quais são.

Afinal, temos mais de 50 anos de experiência no mercado editorial. Ao longo desse tempo, as editoras Lê, Compor e Abacatte se tornaram referência no segmento infantojuvenil.

Por exemplo, Alaíde Lisboa de Oliveira, autora de A Bonequina Preta, dá nome a algumas escolas e instituições públicas de Minas Gerais.

Quer saber que livro levar para casa ou adotar em sua biblioteca ou escola? Os prêmios e reconhecimentos de quem entende do assunto ajudam muito nessa hora, mas já vou avisando: a lista é looonga.

Prêmios e reconhecimentos pela FNLIJ

A Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) é um braço brasileiro da Ybby, o maior agente do mundo nesse segmento. Em tradução livre, Ybby quer dizer Conselho Internacional de Literatura para Crianças e Jovens.

Anualmente, a FNLIJ seleciona os livros que farão parte de seu Acervo Básico, uma chancela que garante a qualidade literária daqueles títulos. Esse catálogo é dividido em 18 categorias.

São elas: Criança, Imagem, Informativo, Jovem, Literatura em Língua Portuguesa, Livro Brinquedo, Melhor Ilustração, Poesia, Projeto Editorial, Reconto, Teatro, Teórico, Tradução/adaptação (Criança, Jovem, Informativo e Reconto), Escritor Revelação e Ilustrador Revelação.

O objetivo do Acervo Básico da FNLIJ é servir de referência para a construção dos acervos literários de escolas, bibliotecas e Secretarias de Educação.

Escravas acorrentadas. Página 22 do livro Honorina. Imagem ilustrativa texto fatos históricos e ficção.

Entre esses livros, são selecionados os dez melhores de cada categoria, que ganham o selo Altamente Recomendável. Além disso, há o Prêmio FNLIJ, que escolhe o melhor de cada categoria.

Feira de Bolonha

Além dos prêmios e reconhecimentos da FNLIJ, a entidade escolhe quais livros irão representar o Brasil na Feira de Bolonha, na Itália.

A Feira de Bolonha é um encontro anual dos maiores produtores de publicações para crianças e jovens do mundo. Além da mostra, é publicado um catálogo com obras de escritores e ilustradores de todos os países.

Para esse catálogo, os títulos são divididos nas categorias Ficção (Crianças e Jovens), Não Ficção, Poesia, Reconto e Livro de Imagem.

Antes disso, é feita uma peneira com os títulos lançados no ano anterior. O objetivo é mostrar ao mundo um panorama da produção de cada país.

Quais são nossos prêmios e reconhecimentos mais recentes?

Menina no meio de homens adultos.

Os livros A trapaça da serpente, Três é demais, Honorina, Metamorfoses e O menino e a flor receberam o Selo Cátedra da Unesco de Leitura. Essa é uma condecoração anual da Unesco sobre o melhor da produção infantojuvenil feita no mundo inteiro.

Outras de nossas obras foram selecionadas pela ONU para o Clube de Leitura dos Objetivos de Desenvolvimento sustentável (ODS). Entre os escolhidos estão O ovo de pégaso, Uma biblioteca é uma casa onde cabe toda a gente, Cada um no seu lugar, Leila, Reconexão, Paz e Honorina.

Além da qualidade dos textos, as ilustrações e a apresentação gráfica das nossas publicações ganham prêmios e reconhecimentos internacionais.

O livro Ela nasceu Clarice, por exemplo, esteve entre os selecionados pela Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil (AEILIJ). Ele também recebeu na Rússia o prêmio Image of the Book. Chique, não é?

Confira a lista completa de prêmios e reconhecimentos do Grupo Lê

74 dias para o fimSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selecionado para o White Ravens, da Biblioteca Internacional de Munique
A Bonequinha PretaAcervo Básico Reedição, da FNLIJ
A canção do verdureiroAcervo Básico Criança, da FNLIJ
A casaFinalista da 3ª Bienal Nestlé de Literatura Brasileira
Selecionado para o Prêmio Jabuti
A filha do alquimistaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável, da FNLIJ
A lenda dos dinossaurosSelecionado para o Catálogo de Bolonha
A mulher que não sabia guardar segredosSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Reconto, da FNLIJ
A professora encantadoraSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Acervo Básico Criança, da FNLIJ
A trapaça da serpenteSelo Cátedra de Leitura Unesco
A velhota cambalhotaSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
AdaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Bia e nandoSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Cada um no seu lugarClube de leitura ODS, da ONU
Cadê meu dono?Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Carteira de identidadeSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Acervo Básico Poesia, da FNLIJ
Chico, o caminhador – Rio São FranciscoAcervo Básico Poesia, da FNLIJ
Cinco sentidos e outrosSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Como nascem os pássaros azuisSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Imagem, da FNLIJ
Como naturezaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Como se fosse gentePrêmio Octogone, na França
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Contos ortográficosSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável, da FNLIJ
Cordel da Terra e do céuSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Cotidiano, paixões & outros flashesSelo Altamente Recomendável, da FNLIJ
Dona Tricotina TapeceiraSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
E a luz se fez… – Irmãos LumiereAcervo Básico Livro Informativo, da FNLIJ
Ela nasceu ClariceFinalista do Prêmio AEILIJ
Prêmio Image of the Book, da Rússia
Entre linhasMelhor Livro de Poesia pela FNLIJ
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Entre magos e cavaleirosSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Era uma vez uma árvoreSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Exercícios de amorSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Jovem, da FNLIJ
Gabi, perdi a hora!Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Galileu leuMelhor Autor de Livro Infantil no Prêmio APCA
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Selecionado para o White Ravens, da Biblioteca Internacional de Munique
GarimpoFinalista categoria Poesia Prêmio Jabuti
Gato de papelSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
História de amorSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Histórias de um professor de históriaSelo Altamente Recomendável Jovem, da FNLIJ
Histórias tão pequenas de nós doisFinalista do HQ Troféu
HonorinaSelo Catédra de Leitura Unesco
Clube de leitura ODS, da ONU
Hortência das trançasMelhor Livro de Literatura Infantil no Prêmio Biblioteca Nacional
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável, da FNLIJ
IluminurasSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável, da FNLIJ
Ganhador na categoria Jovem do Prêmio FNLIJ
Isso não é um elefanteSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Issum boshi – o pequeno samuraiAcervo Básico Criança, da FNLIJ
João valenteSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Imagem, da FNLIJ
30 melhores livros infantis do ano, pela revista Crescer
KiraSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Acervo Básico Reconto, da FNLIJ
LeilaFinalista na categoria Melhor Livro Infantil do Prêmio Jabuti
Clube de leitura ODS, da ONU
Ludmila e os doze mesesSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Manoo tattooSelecionado para o Catálogo de Bolonha
MargaridaSelecionada para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
30 melhores livros infantis do ano, pela revista Crescer
Metade pai metade mundoSelo Altamente Recomendável Jovem, da FNLIJ
MetamorfosesSelo Cátedra de Leitura Unesco
Selo Altamente Recomendável Jovem, da FNLIJ
Meu amigo mais antigoSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Finalista do Prêmio Jabuti
MineragemSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Acervo Básico Poesia, da FNLIJ
Minha princesa africanaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Acervo Básico Criança, da FNLIJ
MorandubetáPrêmio Octogone, na França
Na biblioteca da Rua DireitaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
O acaso abre portasSelecionado para o Catálogo de Bolonha
O artesãoSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Imagem, da FNLIJ
30 melhores livros infantis do ano, pela revista Crescer
O banqueteSelecionado para o Catálogo de Bolonha
O casamento da ararinha-azul – teatroAcervo Básico Teatro, da FNLIJ
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
O elefante caiu30 melhores livros infantis do ano, pela revista Crescer
O encantador de pirilamposPrêmio Altamente Recomendável, da FNLIJ
Selecionado para o Catálogo Bolonha
O livro do acasoGanhador na categoria Literatura infantojuvenil do Prêmio ABL
Ganhador na categoria Ilustração de livro infantil ou juvenil do Prêmio Jabuti
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLI
O livro do péSelecionado para o Catálogo de Bolonha
O menino e a florSelo Cátedra de Leitura Unesco
O mundo Mendelévio e o planeta TelúriaFinalista do HQ Troféu
O ovo de PégasoFinalista na categoria Melhor Livro Infantil do Prêmio Jabuti
Clube de leitura ODS, da ONU
O papagaio de Van GoghSelecionado para o Catálogo de Bolonha
O sonho concreto – Antoni GaudíAcervo Básico Livro Informativo, da FNLIJ
O trompetista na tempestadeSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável, da FNLIJ
Os cadernos de AninhaMelhor Autor de Livro Infantil no Prêmio Jabuti
Outras fábulasSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Pá & pedraPrêmio João de Barro
Pai, precisamos ter uma conversaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
PazAcervo Básico, da FNLIJ
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Clube de leitura ODS, da ONU
Pé de ponteSelecionado para o Catálogo de Bolonha
PoáSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Pontinho por pontinho – Coco ChanelAcervo Básico Livro Informativo, da FNLIJ
Pra saber voarSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Pocotó30 melhores livros infantis do ano, pela revista Crescer
Primeira palavraMelhor Ilustração Infantil no Prêmio Jabuti
Quatro jabutisSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Quem lê com pressa tropeçaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Quem quer brincar comigo?Selo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
ReconexãoClube de leitura ODS, da ONU
Sapopralá patopracáSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Sete histórias de pescaria do Seu VivinhoMenção Honrosa Melhores Quadrinhos, no Universo HQ
Tão longe… tão pertoMelhor Livro Juvenil no Prêmio Jabuti
Taya e o espelho da Baba YagaSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Terra mãeAcervo Básico Imagem, da FNLIJ
Tô ligado!Prêmio João de Barro
Três é demaisSelo Catédra de Leitura Unesco
Finalista na categoria Melhor Publicação Infantil do Troféu HQMix
Três formigas amigasMelhor Ilustração no Prêmio Jabuti
Acervo Básico Criança, da FNLIJ
Selecionado para o Catálogo de Bolonha
Tudo pode ser brinquedoSelo Altamente Recomendável Criança, da FNLIJ
Um conto por um guaranáFinalista na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti
2º lugar no Prêmio Guavira
Acervo Básico Criança, da FNLIJ
Uma biblioteca é uma casa onde cabe toda a genteClube de leitura ODS, da ONU
Vicente em palavrasFinalista na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti
Vladimir e navio voadorSelecionado para o Catálogo de Bolonha
Selo Altamente Recomendável Reconto, da FNLIJ
Voa pipa, voaSelecionado para o Catálogo de Bolonha