As aventuras de Pépin - O Pequeno Peregrino
As aventuras de Pépin - O Pequeno Peregrino
R$ 49,50
Autor(es): Fábio Farah Ilustrador(es): Anna Cunha
Tamanho: 19cm x 26cm Páginas: 100 Faixa Etária: a partir de 10/11 anos ISBN: 9788532907615 Categoria: Tema: Amor/Amizade; Arte/Ciência; Bruxos/Duendes/Seres Fantásticos; Contos de Fada/Contos da Tradição Oral; Emoções/Convivência/Sentimentos; Fantasia/Realidade

O texto narra a peregrinação de Pépin, criatura moldada por um velho alquimista, e que parte em busca dos segredos escondidos nos corações humanos.
Vestido como um peregrino, e nas costas de um cão chamado Fédon, Pépin percorre aldeias medievais, grandes cidades e florestas sombrias. E com uma esponjinha, ele experimenta o encanto da alegria, da felicidade, da solidariedade... Mas também mergulha nos abismos da tristeza, do egoísmo e da crueldade...
As Aventuras de Pépin, o Pequeno Peregrino é uma fábula para crianças, jovens e adultos.

  • Conversar com a turma sobre os séculos medievais e a copiosa literatura narrativa vinda de fontes populares (orientais ou gregas) e fontes cultas (prosa aventuresca das novelas de cavalaria). Verificar os elementos contidos no projeto gráfico que remetem à época referida.
  • Elaborar com os alunos uma lista dos sentimentos vivenciados por Pépin, convidando-os a um debate sobre estes. Pedir que os comparem àqueles também experimentados por personagens de livros, tiras de quadrinhos ou novelas da TV da atualidade.
  • Pedir comentários sobre as frases, concordando ou discordando: ”Isso significa que o corpo exala a essência do que se passa no coração” (p.14); “A fé faz você enxergar com a alma, não com os olhos do corpo”(p.24);”A ingenuidade das crianças. Só elas conhecem a verdadeira felicidade...”(p.40).
  • Hora da música: propor a audição, leitura e análise da canção “Os alquimistas estão chegando”, de Jorge Ben Jor (letras.mus.br), relacionando-a com episódios descritos no livro As aventuras de Pépin, o pequeno peregrino.
  • O monge-cientista-inventor temia ser jogado na fogueira (p.72). A partir de suas ideias sobre um mundo cheio de máquinas pensantes, pássaros-carroça, viagens à Lua, incentivar a produção de um texto (em prosa ou em versos) sobre a questão do progresso – que muito deve às pessoas sonhadoras, arrojadas e tenazes. Outra sugestão: “Em busca do que nos torna humanos” (página de rosto).